Trip tips: Descobrindo Cuba

Ano passado fiz uma viagem maravilhosa à Cuba e por não ser um lugar que atrai tantos brasileiros como outros destinos turísticos estrangeiros, volta e meia recebo perguntas de alguém que tem vontade de conhecer.

Foi uma experiência incrível que me surpreendeu positivamente e que me proporcionou muita cultura, além de paisagens paradisíacas!!!

Eu tive uma certa dificuldade em "fechar" essa viagem sem uma agência. Apesar de ter encontrado várias informações em sites e blogs de viagens sobre pontos turísticos e passeios, a parte prática mesmo - reservar hotéis (não tem nenhum no Booking.com, por exemplo), passeios, transfer, etc - não foi tão simples de achar. 

Isso se deve a dois motivos: o acesso à internet no país não é tão comum (o que pode dificultar seu contato com os prestadores de serviço de lá) e eles têm apenas uma e desorganizada agência de viagens oficial - e estatal, obviamente - a Cubatur.

Mas agora que já tive a experiência de ir, acredito que é possível, sim, viajar para lá sem a necessidade de uma agência intermediária daqui do Brasil. Por isso contarei aqui um pouco de como foi minha viagem e me coloco à disposição de esclarecer qualquer dúvida que você tiver! Basta deixar no comentário ;)

A minha viagem durou 10 dias no total (entre o finalzinho de maio e início de junhoe eu fiquei 4 noites em Havana, 3 noites em Cayo Largo e 2 noites em Varadero.

HAVANA é uma cidade parada no tempo! As construções e carros são muito antigos, apesar de, hoje em dia, já ter bastante carro novo também.


Havana Vieja

Eu fiquei hospedada no Hotel Inglaterra, que fica na Havana Vieja. Esse foi o primeiro hotel da cidade, mas está bem conservado! É muito lindo lá dentro! O quarto é bem simples e meio velhinho, mas não me faltou nada além da internet. 
Foto do site do hotel


Fotos internas do hotel

Do lado dele tem o Hotel Telégrafo, que me pareceu ser do mesmo estilo. Ambos têm muita História! Em frente a esses tem um hotel enorme e bem moderno e o único lugar da cidade que eu consegui wi-fi (internet não é coisa fácil por lá!), o Hotel Parque Central, da rede Iberostar. E tem, ainda, o hotel mais famoso da cidade que é o Hotel Nacional! Ele é como se fosse o Copacabana Palace de lá (guardadas as devidas proporções), muito bonito e já hospedou muita gente famosa. É também um ponto turístico!


Hotel Nacional

Obviamente existem muitos outros hotéis na cidade, além de outras opções de acomodações como, por exemplo, hospedagem em casa de família. Mas falei aqui dos que eu conheci.

Como disse anteriormente, fiquei na Havana Vieja e eu amei essa escolha! É a parte mais histórica e que concentra a maior quantidade de pontos turísticos! Dá para ir andando, pegar um táxi ou mesmo um daqueles ônibus turísticos. A Havana Nueva não tem nada de nova, é tudo velho como o resto da cidade, mas era ali que moravam as pessoas com dinheiro, antes da revolução. 

Habana Vieja

Em Havana visitei a fábrica de charutos Partagas, os famoso bares La Bodeguita del Medio (o melhor mojito) e La Floridita (o melhor daiquiri), o Museu da Revolução, a Praça da Revolução, a fábrica de rum Havana Club, assisti um show do Buena Vista Social Club (excelente!), dentre outros passeios!



Sobre os passeios turísticos, eles são bem fáceis de achar em qualquer roteiro que você leia sobre a cidade, então não vou detalhá-los aqui, mas se quiser mais informação sobre isso, é só pedir ok?!

Depois disso partimos de avião pra Cayo Largo! Cuba é uma ilha (um arquipélago na verdade) e tem muitos cayos, como se fossem ilhotas. 

CAYO LARGO é um dos mais conhecidos e achei lindo! Vi fotos de outros cayos que parecem ser maravilhosos também.

Lá fiquei hospedada no Hotel Sol Cayo Largo, um resort, supostamente 5 estrelas (as estrelas de Cuba são bem questionáveis), com esquema all inclusive. O hotel era legal, a praia era linda, os quartos eram simples, porém bem limpinhos! Como esse existem vários na ilha.

Fiz passeios lindos por lá, como Playa Sirena, Cayo Las Iguanas, ilha Mujeres de Arena, além de snorkel em corais e piscinas naturais! O mar é de uma cor única! 



De lá partimos para nosso último destino:

VARADERO é a ilha mais conhecida, mais turística e mais perto de Havana, dá para ir de carro ou ônibus (de Cayo Largo precisei ir de aviãoZINHO - o menor e mais velho que já andei na minha vida)! O tempo lá estava lindo e eu fiquei apaixonada pelo lugar! Queria ter ficado mais tempo... Achei a infraestrutura melhor e a cidade em si mais animada do que Cayo Largo. 

Fiquei hospedada no Hotel Meliá Peninsula (a rede Meliá é enorme por lá), também no sistema all inclusive e "5 estrelas". O hotel é bem bonito e grande, só não achei o serviço dos melhores. Mas também não se deve ir à Cuba esperando bom serviço. Esse não é o forte deles, realmente. Em Varadero tem mais opções ainda de hotel!

Lá também fiz diversos passeios lindos em piscinas naturais, corais e praias paradisíacas, como Cayo Blanco!


De Varadero pegamos um tranfer para o aeroporto em Havana e demos a sorte de pegar um motorista muito simpático que foi explicando mais sobre o país, do ponto de vista de um cubano mesmo, além de nos levar em uma praia linda frequentada apenas por locais e nos mostrar o mirante de Bacunayagua, o ponto mais alto de Cuba! Daí para o aeroporto e o coração apertado com vontade de ficar mais...


Coisas importantes a saber:

- Eu fui e voltei de Copa Airlines, com escala na Cidade do Panamá (você consegue achar passagens pelo http://www.submarinoviagens.com.br/). Não me importei porque o aeroporto (especialmente o free shop!) do Panamá é muito bom! Já em Cuba, os aeroportos são uma verdadeira rodoviária! Pequenos e desorganizados. 

- Os voos internos que peguei foram da Companhia Gaviota. Aviões pequenos e velhos, se você tem medo, prepare-se! Eu estou quase curada depois disso!

- A moeda pro turista lá é o CUC (quando fui ele estava mais ou menos na cotação do dólar). Os cubanos usam o peso cubano, que é muito desvalorizado. Não leve reais porque não é aceito em lugar nenhum! Nem casa de câmbio lá troca! É possível trocar dólares e euros no aeroporto, mas eles não gostam de dólar americano (por motivos óbvios) e a taxa costuma ser mais cara. Dizem que euro é bem aceito lá, mas não usei. Também saquei CUCs com meu cartão em um caixa eletrônico no aeroporto e depois em um banco em Havana e fui cobrada na fatura em dólar! Para mim até que valeu à pena.

- É necessário um visto para a entrada no país e a própria agência de viagens aqui no Brasil me forneceu (não é necessário nenhum tipo de aprovação, apenas pagar +informações nesse link). Além disso, na hora da volta você é obrigado a pagar um taxa de CUC 25,00 no aeroporto. Não entendi até hoje para que serve, mas é MUITO IMPORTANTE que você reserve essa quantia, na moeda cubana, senão você não consegue voltar para casa!

- Os cubanos são muito simpáticos e adoram conversar! Generalizando, os homens querem falar de futebol e as mulheres de novela (elas AMAM e são apaixonadas pelos galãs brasileiros!). É legal conversar com eles pra se ter ideia de como é viver lá, mas não se engane, todos eles querem te vender alguma coisa. Em Havana, principalmente, 99% tenta te convencer a comprar charutos de uma tal cooperativa, por um preço muito mais barato. Eu não quis correr o risco de comprar falsificados. Muitos também tentam te convencer a comer em algum restaurante. Lá pelo 3º dia aprendi que a melhor resposta é "já comprei" ou "já comi", só assim eles desistem (eles são muito insistentes)! 

- Gorjeta é super bem vinda (até porque 1 CUC vale muitos pesos cubanos)!

- Ao pegar os táxis não oficiais (os oficiais têm taxímetro) ou os coco-táxis (triciclos), se combina o preço antes. 

-  Fique atento com a temporada de furacão! Faz tempo que não tem lá, mas aquela região sempre fica em alerta. Quando eu fui estava quente, mas nada insuportável, mas durante o alto-verão me disseram que lá é muuuito quente.


Obviamente não consegui escrever pouco sobre a minha experiência, mas tentei passar o máximo de informações que pude, principalmente aquelas que tive mais dificuldade em achar quando pesquisei. Espero que tenha ajudado quem já estava pensando em visitar o país ou despertado a vontade de quem nunca tinha pensado nele como um bom destino turístico! Já eu adoraria voltar!

Hasta la vista Cuba!

*Todas as fotos deste post pertencem ao blog, salvo a sinalizada como de outra fonte.

0 comentários:

Postar um comentário